10 perguntas sobre HIV e você

Slide1 (2)10 perguntas a se fazer antes de iniciar o tratamento do HIV

Por Heidi Nass, traduzido por Nilo docarmo

Um diagnóstico de HIV vem com seu próprio conjunto de perguntas a fazer a si mesmo e decisões a tomar.

Entre as maiores esta:

Quando você deve começar o tratamento? E uma pergunta como um jogo com muitas outras perguntas escondidas dentro desta.

Aqui, em nenhuma ordem particular, são 10 das questões mais importantes a perguntar-se antes de começar a tomar medicamentos para o HIV.

1. Por que eu quero começar o tratamento?

Esta questão extremamente importante que não deve ser confundido com: “Por que meu médico disse que eu deveria começar o tratamento?” É uma maneira de perguntar a si mesmo o que você quer do tratamento, e vai direto para saber se você acredita que os anti-retrovirais são necessárias para gerir a sua infecção pelo HIV.

Iniciando e permanecer em tratamento para o HIV é um supremo ato de auto-respeito. Esta questão pode desmascarar qualquer relutância à espreita, você pode ter que cuidar de si mesmo. Ele ajuda a esclarecer o qual e sua principal motivação será tirar o seu medicamentos HIV dia após dia.

 2. Estou pronto?

A lista de razões para iniciar o tratamento mais cedo, do que mais tarde. Só fica mais tempo como os dados de apoio continua rolando dentro Mas isso não quer dizer que é óbvio quando você deve começar. A maior variável no sucesso do tratamento sustentado é você: a pessoa que vai ter que tomar remédios da maneira correta, todos os dias, por tempo indeterminado.

Regimes de tratamento de primeira linha de hoje são muito bons, mas eles ainda exigem excelente adesão (não faltando doses), para evitar o desenvolvimento de resistência aos medicamentos. O número de possíveis combinações de anti-retrovirais é finito, e eles realmente não ficar mais fácil ou melhor. Na verdade, o regime que você começar com pode muito bem ser o mais fácil, esquema mais potente disponível para você – o tipo de coisa que seria uma pena perder porque você não está pronto.

 3. Qual o regime vai me deixar viver a minha vida?

A maior combinação de medicamentos que o mundo tem para oferecer não vale muito se você não tomar como prescrito, todos os dias. Voce  pode ser forte o suficiente para começar a tomar medicação diária, muito menos ter que fazer mudanças radicais na sua rotina diária para elas.

Antes de dizer sim a um regime de duas vezes por dia, que requer alimentos, mesmo que você cronicamente saltar o pequeno almoço e jantar, sempre que você pode, converse com seu médico sobre outras opções – ou pelo menos seja realista sobre se você pode comprometer-se a mudar sua rotina. O ponto de ir em tratamento é, afinal, para se manter saudável para que você possa seguir com a vida sem HIV incomodando.

A escolha de um regime que se torna o foco de sua vida é a escolha errada.

Ele provavelmente não é realista e certamente não é necessário. Seja honesto sobre o que você está disposto (e não queira) para fazer, escolher um regime que alinha com isso, e então tomar seus remédios tão certo perfeitamente possível.

 Slide14. Se rendera à verdade que eu tenho HIV / AIDS?

Negação e vergonha não são bons para sua saúde, e eles podem realmente interferir com a sua capacidade de se comprometer com o tratamento. Algumas pessoas começam o tratamento, porque eles são “suposto” ou porque seus médicos pensam que deveriam, não porque eles optam por fazê-lo como um ato de auto-preservação. Eles fazem isso de má vontade, como uma tarefa que você faz porque alguém lhe pediu gentilmente para fazer, mas você realmente não pode esperar para terminar – e, honestamente, você nunca sabe por que e importante fazer, de qualquer maneira.

Vamos enfrentá-lo:

Ficar em tratamento significa reconhecer, a cada dia, “eu tenho HIV / AIDS.” O que acontece nos dias que você não quer muito para reconhecer que – para si mesmo ou para os outros ao seu redor? Um regime de tratamento é um lugar perigoso para jogar fora os ressentimentos.

5. Quem vai me contar sobre o meu regime?

Nunca subestime o poder de apoio: ouvindo um simpático “Você já tomou seus remédios hoje?” pode ir a um longo caminho para mantê-lo no caminho certo. Claro, ele pode ficar velho, mas é bom ter alguém prestando atenção, especialmente naqueles dias que você pode não estar.

E também pode ser surpreendentemente bom ter alguém para conversar sobre os seus medicamentos.

Além disso, você provavelmente vai ficar feliz em ter um par extra de olhos e ouvidos nas discussões de tratamento com o seu médico – ou mesmo apenas observando como você está fazendo.

 6. Por este regime?

Quando se trata de escolher o seu primeiro regime, você tem uma escolha: você pode deixar o seu médico escolher o seu regime para você, ou você pode estar envolvido na decisão. À medida que a pessoa que tem que ir para casa e tomar a medicação dia a dia, a segunda opção é preferível.

Tendo em conta que há uma série de bons esquemas disponíveis para as pessoas que são novas para o tratamento do HIV, faz sentido perguntar ao seu médico: “Por que esta combinação, e não aquela?” ou “O que você vê como as minhas duas melhores opções, qual você prefere e por quê?” Além disso, se você tiver quaisquer preocupações específicas em tudo, como “Eu quero engravidar” ou “Eu não quero que qualquer interrupção de meu sono”, trazê-los para a mesa e plop-los para o seu médico considerar.

 7. Quais os efeitos colaterais estou disposto a tolerar?

Muitas vezes, as pessoas nem sequer faz o teste de HIV até mais tarde no processo da doença, quando já me sinto terrível (que é provavelmente por isso que eles foram testados). Essas pessoas podem ter um tempo mais fácil de iniciar o tratamento, porque eles sabem que vai se sentir melhor, uma vez que o vírus estiver sob controle.

Se você não tem sintomas da infecção pelo HIV, no entanto, é fácil de ter medo do que você vai sentir pior no tratamento. Graças a os mais recentes, medicamentos menos tóxicos, as chances são melhores do que nunca que você vai se sentir muito bem. Mas é importante ser claro sobre quais os efeitos secundários que esta dispostos a tolerar, especialmente durante as primeiras semanas que o seu corpo está se ajustando ao tratamento (quando os efeitos colaterais são mais provável). Se sua resposta for “nada”, então você pode não estar pronto para fazer isso.

8. Como posso esperar para sentir a este regime?

Não se surpreenda se o seu médico só parece falar sobre os prováveis ​​efeitos colaterais dos medicamentos, em vez de toda a gama de possíveis. Talvez ela ou ele teme que são impressionáveis ​​e falando sobre eles vai assustá-lo fora, ou vai fazer você pensar que você tê-los quando você realmente não.

Mas saber se um sintoma que se pode estar relacionada com a droga é um grande negócio. Dessa forma, você saberá imediatamente se você deve dar sua clínica uma chamada e ver o que o seu médico pensa nisso.

Então, pergunte ao seu médico para lhe dar toda a gama de efeitos colaterais – mas prestar atenção ao que percentagem de pessoas recebem cada um para que você saiba qual a probabilidade de que poderia ser para você. Lembre-se: Mesmo que o percentual é tão alto quanto 20 por cento, o que significa 80 por cento não entendo.

9. E se não funcionar?

Tão bom quanto os medicamentos de hoje HIV são, é possível que, por uma razão ou outra, o primeiro regime não pode trabalhar para você. Talvez você acha que está faltando doses regularmente. Ou talvez seus testes de laboratório vai mostrar que a sua carga viral não está caindo tanto quanto deveria. Ou talvez algum efeito colateral irá emergir que faz você querer apenas dizer não ao tratamento.Slide1 (3)

Quando você está pesquisando seu primeiro regime e discuti-lo com o seu médico, porque não considerar o seu segundo, regime just-in-case, também? Na verdade, é uma boa ideia ter sempre um plano B em mente.

10. Posso parar?

Esta é uma pergunta que não recebe atenção suficiente. Os médicos não parecem apreciar a falar sobre isso – o tratamento do HIV é “terapia ao longo da vida”, afinal de contas, e estudos têm mostrado que as pessoas com HIV geralmente ver seu deslize saúde quando parar de tomar remédios.

No entanto, podem surgir ocasiões em que fazer um “feriado tratamento” a coisa mais realista que fazer, então você pode muito bem falar sobre isso na frente. Isto é especialmente importante porque alguns regimes medicamentosos de HIV deve ser parado numa certa forma, ou numa determinada ordem, para evitar o desenvolvimento de resistência.

Author: comsudebrasil

Nosso abjetivo. Queremos romper a "barreira da linguagem médica" entre o médico e o paciente, Com Informações médicas. Informações devem ser apresentados em uma linguagem clara e compreensível para que o paciente compreenda suas escolhas e decisões. Em última análise, é o paciente quem deve tomar as decisões de saúde. Acreditamos que no futuro, o mundo da medicina será dominada por um novo paciente um que procura a informação crítica sobre saúde na Internet - e que isso vai levar a um novo tipo de médico, um medico que deve ajudar o paciente a avaliar a qualidade dessas informações. A comsaudebrasil está empenhada em ajudar ambas as partes, em sua busca. comsaudebrasil é uma colaboração entre médicos comprometidos, e profissionais de saúde, especialistas em informação e pacientes que acreditam que a prática médica deve ser baseada em uma avaliação qualitativa a informação e, sempre que possível, com base nos princípios da medicina baseada em evidências. Aqui está a sua fonte de informações sobre saúde, dicas e idéias, tudo em um so lugar. A onde comer bem e fazer exercicio e fundamental para uma vida saudavel e alegre. Ferramentas para o planejamento de refeições e como permanecer ativo. Encontre uma grande guantidade de recursos e informações para cuidar da sua condiçaõ de saúde Comer Bem, Passar Bem, Viver Bem ... Remove Seu Compromisso a um estilo de vida

Share This Post On
Share This

Share This

Share this post with your friends!