Suplementos: Ajuda ou Hype

O mundo gasta bilhões de dólares anualmente em suplementos alimentares.


No entanto, quanto é que eles realmente ajudar?

Mais e mais estudos citam os benefícios deste suplemento ou aquilo, mas muitas vezes é difícil de avaliar o mérito de um estudo.

O que sabemos com certeza é que a melhor maneira de obter a maioria dos nutrientes importantes que precisamos é comer uma dieta bem equilibrada, que é pobre em gorduras saturadas e inclui grãos integrais, frutas e vegetais frescos. Suplementos são adições ao – não um substituto – uma alimentação saudável. Antes de tomar um suplemento, considerar comer alimentos que contenham esse nutriente específico. E é sempre uma boa idéia para discutir suplementos com o seu médico para garantir que eles não entrem em conflito com medicamentos de prescrição ou restrições alimentares.

P: Se eu comer um monte de folhas verdes, que eu preciso para tomar a luteína ea zeaxantina suplementos?

R: Alguns estudos publicados mostram que a obtenção de aproximadamente 6 mg de luteína e de zeaxantina por dia a partir de alimentos diminui o risco de desenvolvimento de degeneração macular e catarata. Luteína e de zeaxantina, que são carotenóides encontrados em grandes quantidades na retina periférica mácula e dos olhos, funcionam como antioxidantes e também filtrar a luz azul que possam danificar o olho. As melhores fontes de alimento para esses carotenóides são escuras, vegetais de folhas verdes (espinafre, couve), frutas amarelas e laranjas e legumes (abóbora, melão, pêssegos, batata doce, cenoura) e as gemas. No entanto, pode ser difícil atingir o objectivo de 6 mg, mesmo com cinco porções diárias destes alimentos. Para as pessoas que têm restrições alimentares, é ainda mais difícil. Por exemplo, as pessoas sobre medicamentos para afinar o sangue pode precisar restringir o consumo de verduras, porque eles são ricos em vitamina K, um nutriente que neutraliza a medicação anti-coagulante. Além disso, as pessoas com diverticulose, muitas vezes têm dificuldade em tolerar as grandes quantidades de fibra em frutas e vegetais, e as pessoas que têm diabetes precisam ter cuidado com açúcares naturais encontrados nas frutas.

Para aqueles que têm a degeneração macular (DMRI), quantidades diárias de 20 mg de luteína e zeaxantina são 6-10 mg geralmente recomendado. O AREDS2 ensaio clínico em andamento (ver página 3) está estudando os efeitos de luteína e zeaxantina suplementação.


P: Se eu comer peixe duas vezes por semana, devo ainda tomar um suplemento que contém gorduras omega-3?

R: Omega-3 gorduras são compostas dos seguintes ácidos gordos: ácido alfa-linolénico (ALA), ácido eicosapentaenóico (EPA) e ácido docosahexanóico (DHA). ALA é encontrado principalmente em alimentos de origem vegetal, que nossos corpos convertem em DHA e EPA. DHA e EPA são encontrados principalmente em peixes. Os cientistas pensam que o ômega-3 gordo DHA, que é altamente concentrado na retina, pode ser protetora do olho. As melhores fontes de DHA são peixes de água fria, como salmão selvagem do Alasca, cavala, arenque e sardinha, para comer esses tipos de peixe duas vezes por semana é definitivamente uma boa idéia. No entanto, se você não está comendo peixes que contêm altas fontes de ômega-3, você pode querer completar a sua ingestão com cápsulas de óleo de peixe. E se você não gosta de peixe, considere 1000-2000 mg cápsulas. Se você é um vegetariano, olhar para os alimentos ou suplementos com DHA de óleo de algas.

Há uma nota de advertência para as pessoas em medicamentos para diluir o sangue: verificar com o seu médico, porque o óleo de peixe é um sangue mais fino. O 2001 Age-Related Eye Disease Study (AREDS) descobriram que pessoas com AMD que comiam peixe pelo menos duas vezes por semana tiveram uma redução de aproximadamente 50% no risco de degeneração macular avançada, em comparação com aqueles que nunca comeram peixe. É importante notar que não foi ainda determinado se o omega-3 é responsável pela diferença. O estudo AREDS2 (abaixo) é avaliar a suplementação de omega-3.

P: Eu tenho estado a ler artigos sobre a necessidade de aumentar a ingestão de vitamina D. A suplementação é necessária?

R: Pesquisadores que estudam a vitamina D estão a ficar preocupados que as pessoas não estão recebendo o suficiente desse hormônio vital que desempenha um papel importante na absorção de cálcio, o crescimento ósseo e regulação dos sistemas imunológico e neuromuscular. Algumas boas fontes alimentares incluem o óleo de fígado de bacalhau, salmão, cavala, atum, sardinha, gema de ovo, carne ou fígado de vitela, queijo e leite. Além disso, existem actualmente muitos tipos de sumo de laranja, iogurte e cereais que são enriquecidos com D.

Muitas pessoas não sabem que existem dois tipos de vitamina D: D2 (ergocalciferol) e D3 (colecalciferol). D3 é a forma natural que o nosso corpo faz de exposição à luz solar e é considerado o suplemento de escolha. Muitos suplementos contêm a vitamina D2 salvo indicação em contrário. Alguns especialistas recomendam que as pessoas devem obter pelo menos 1000 unidades internacionais [UI] por dia, o que inclui a vitamina D a partir de todas as fontes – de alimentos, vitaminas e sol. Desde a absorção da vitamina D é afetada por esteróides, medicamentos apreensão e outros medicamentos, qualquer suplementação deve ser discutida com o seu médico.

Este artigo foi escrito por Carol J. Sussman-Skalka, LMSW, MBA, com Eleanor E. Faye, MD, e H. Cydney Strand, RN e foi traduzido por nilo48

Share This